Divulgação
 

OPERILDA NA ORQUESTRA AMAZÔNICA VOLTA A SÃO PAULO COM APRESENTAÇÕES GRATUITAS EM TEATROS DA PREFEITURA

MUSICAL INFANTIL, GANHADOR DOS PRÊMIOS APCA E FEMSA 2013 E REALIZADO PELO PRÊMIO ZÉ RENATO, APRESENTA-SE GRATUITAMENTE DE 03 DE OUTUBRO A 22 DE NOVEMBRO EM DIVERSAS REGIÕES DA CIDADE.

 

O musical infantil “Operilda na Orquestra Amazônica”, que conta de maneira lúdica a história da música erudita brasileira, o que lhe rendeu os prêmios APCA e FEMSA 2013, retorna aos palcos paulistanos com 16 apresentações gratuitas. As sessões vão circular por quatro teatros da Prefeitura Municipal de São Paulo de diferentes regiões da cidade. A estreia está marcada para o dia 03 de outubro, às 16h no Teatro Paulo Eiró, em Santo Amaro, que será reinaugurado depois de passar por uma grande reforma. O espetáculo é realizado pelo Prêmio Zé Renato, do programa de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo.

untitled.png

 

Premiado em 2013 pelo APCA como Melhor Musical Infantil e pelo FEMSA, pela divulgação de compositores brasileiros eruditos e populares, a divertida montagem conquista a atenção dos espectadores desde o primeiro ato. Com canções ao vivo, os artistas da orquestra interagem com a plateia e com a personagem principal durante as cenas para mostrar às crianças e adultos que a música erudita não é uma arte de difícil acesso. A direção geral é de Regina Galdino, com direção musical do maestro Miguel Briamonte.

O musical conta a história de Operilda, interpretada pela atriz e autora Andréa Bassitt. Ela é uma bruxinha engraçada e apaixonada pelo Brasil e tem uma missão: contar a história da música erudita brasileira para as crianças, em apenas uma hora. Se conseguir, vai ganhar uma orquestra completa só para ela. Para isso, sua tia Opereta lhe dá uma camerata de seis músicos eruditos e Livrildo, um livro mágico que vai ajudá-la. Ao longo do espetáculo, Operilda passeará por diferentes ritmos musicais, estilos e compositores para conseguir cumprir a sua tarefa.

Em cena, Andréa Bassitt se apresenta ao lado dos músicos Elaine Giacomelli (piano), Clara Bastos (contrabaixo), Cássia Maria (percussão), Paula Souza Lima (violino), Joca Araújo (clarinete e flauta) e Joyce Peixoto (trombone). O repertório traz composições de nomes históricos da música erudita brasileira, como Alberto Nepomuceno, Padre José Maurício, Carlos Gomes, Villa-Lobos, Camargo Guarnieri e Guerra-Peixe, da música popular, como Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Xisto Bahia e Tom Jobim, além de canções de origens folclórica, africana e indígena brasileiras. Já o cenário, assinado por Marco Lima, traz referências à Floresta Amazônica com resoluções lúdicas e encantadoras.

PERFIS

Regina Galdino (diretora) – Formada pela EAD, foi uma das criadoras da série “Aprendiz de Maestro”. Dirigiu “Os Saltimbancos”, com a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, a ópera “Idomeneo”, no Teatro Municipal de São Paulo, e os espetáculos “Intimidade Indecente”, “As Pontes de Madison”, “A Reserva”, “As Turca” e o premiado “Memórias Póstumas de Brás Cubas”.

Andréa Bassitt (atriz e autora) – Formada pela EAD, escreveu e interpretou os espetáculos teatrais “As Turca”, “Filhos do Brasil” (Prêmio Shell de Melhor Música) e “As Favoritas do Rádio” (Prêmio Jornada Sesc de Teatro). Fez parte da série de concertos infantis “Aprendiz de Maestro” como atriz e autora. Criou os textos de “Mar de Gente”, de Ivaldo Bertazzo, e da ópera “Idomeneo”, dirigida por Regina Galdino.

Maestro Miguel Briamonte (diretor musical) – Faz orquestrações para a Filarmônica de Jena (Alemanha), Sinfônica Municipal de São Paulo, Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Curitiba, Orquestra Sinfônica de Recife, Orquestra Jovem de Santo André, entre outras. Foi diretor artístico dos concertos de Diana King e Milton Nascimento, com a Orquestra HSBC. Fez a direção musical de espetáculos como “Cats”, “A Bela e a Fera”, “Chicago”, “O Fantasma da Ópera”, “Sweet Charity”, “Mademoiselle Chanel”, “Hair”, “Priscilla” e “Rainha do Deserto”.

Marcos Lima (cenário) – Responsável pelos cenários e adereços do musical, que remetem à floresta brasileira. É um dos profissionais mais qualificados no mercado cultural. Seus trabalhos mais recentes são: Eu era tudo pra ela e ela me deixou, direção de Mira Haar (cenografia), Pedro e o Lobo, direção de Muriel Matalon e Jucazécaju, direção de Carla Candiotto.

FICHA TÉCNICA

Texto e pesquisa: Andréa Bassitt

Elenco: Andréa Bassitt, Elaine Giacomelli (piano), Cássia Maria (percussão), Clara Bastos (contrabaixo), Paula Souza Lima (violino), Joca Araújo (clarinete e flauta) e Joyce Peixoto (trombone).

Direção Geral: Regina Galdino

Direção Musical : Miguel Briamonte

Cenário e Adereços: Marco Lima

Fotos: João Caldas Filho

Iluminação: Newton Saiki

Programação Visual: Sato - Casa da Lapa

Realização: Oasis Empreendimentos Artísticos Ltda

SERVIÇO

TEATRO PAULO EIRÓ: Rua Adolfo Pinheiro, 765, Santo Amaro

De 03 a 11 de outubro, sábados e domingos, às 16h.

Tel.: 5546-0449. Lotação da sala: 460 lugares.

TEATRO ALFREDO MESQUITA: Av. Santos Dumont, 1770, Santana

De 17 a 25 de outubro, sábados e domingos, às 16h.

Tel.: 2221-3657. Estacionamento gratuito. Lotação da sala: 198 lugares.

TEATRO ZANONE FERRITE: Av. Renata, 163, Vila Formosa

De 31 de outubro a 15 de novembro, sábados e domingos, às 16h.

Tel.: 2216-1520. Lotação da sala: 204 lugares.

TEATRO CACILDA BECKER: Rua Tito, 295, Lapa

Dias 21 e 22 de novembro, sábado e domingo, às 16h.

Tel: 3864-4513. Lotação da sala: 198 lugares.

Entrada franca.

Bilheteria: retirar ingressos 1 hora antes. Duração: 60 minutos. Classificação: a partir de 4 anos. Todos os teatros têm acessibilidade para pessoas com deficiência e possuem ar condicionado.

 





Para garantir que você sempre receba as nossas mensagens, adicione o endereço do remetente em sua lista de contatos.

Nossa empresa respeita a sua privacidade.
Não desejo receber futuras mensagens